Reajuste no salário mínimo depende da situação econômica do país

O decreto aprovando o novo valor é assinado no fim do ano, mas para que a quantia seja definida de forma positiva o cenário da economia também deve ser favorável.

O salário mínimo federal atinge vários setores do país, não apenas a quantia base a ser recebida por oito horas de trabalho diário. Mas, programas de benefícios como PIS, PASEP e Seguro Desemprego. Por isso, o seu crescimento reflete de maneira direta nos trabalhadores. Para que em 2020 o saldo seja superior a 1 mil reais é necessário que os trâmites econômicos também cresçam.

O cálculo que define a quantia a ser paga, soma a variação do PIB do ano retrasado, nesse caso de 2018, e o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior. E aplica o resultado sobre o atual valor do salário mínimo. Dando início ao seu novo peso a partir do dia 1° de janeiro.

Como é necessário aguardar até o fim de 2019 para que o resultado sobre o INPC seja calculado, o decreto é assinado levando em consideração estudos e pesquisas. Por isso, pode ter valor maior ou menor do que o esperado, porquê não utilizou o resultado exato do índice.

O governo tem criado medidas para movimentar a economia do país. Liberando o saque parcial do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), de contas ativas e inativas, e das cotas do PIS-PASEP. A ideia é que essas medidas gerem investimentos, compras e vendas no mercado.

Independente do modo como o brasileiro vai utilizar seu dinheiro, sendo dentro do país esses resultados vão atingir de forma positiva. Inclusive, dando a possibilidade de um bom acréscimo no valor do salário para 2020.

15 de agosto de 2019

Avalie este conteúdo!

Avaliação média: 0
Total de Votos: 0

Reajuste no salário mínimo depende da situação econômica do país

Claudia Teixeira

Jornalista com experiência na produção de conteúdo. Escreve sobre benefícios sociais e noticias recentes de política & economia.

Leave a Reply